sexta-feira, 17 de outubro de 2008

O que muda


O que muda quando se tem um filho? Às nobres amigas que ainda não tiveram correm o sério risco de não querer tê-los se continuarem a lerem. Se acham suficientemente fortes, então corram o risco... às amigas que já têm filhos... estas vão me entender perfeitamente.


Quando se descobre grávida, pensa que as noites mal dormidas vão começar dali a 9 meses, quando o pimpolho nascer... triste engano... as noites mal dormidas começam bem antes, quando o barrigão e a bexiga espremida já não lhe deixam uma posição sequer como opção para fechar os olhos e dormir. Quando o bebê nasce você se surpreende como consegue passar dias, meses, anos sem pregar o olho uma noite sequer, sem ir ao banheiro, sem comer... você, que não conseguia ficar mais que 10 minutos numa fila de banco descobre-se apta a passar horas a fio em pé. Se você não gosta de leite ou queijo, sugiro passar a gostar. Se você for Veterinária como eu, vai ver que as aulas de Tecnologia e Inspeção de Leite e Derivados lhe serão muito úteis... uma vez que passará a ser uma legítimo exemplar de vaca holandesa, ordenhando centenas ou milhares de mL de leite, dependendo de sua linhagem. Conhecimentos sobre armazenagem, transporte e pasteurização de leite lhe serão muito úteis. Adianto-lhe que o IMIP oferece esses serviços. A fase com que você se parece com a Pamela Anderson pode até ser divertida, mas não se engane... ela durará pouco e logo logo estará estrelando algum documentário sobre as índias da tribo Pelancuçu. Plena ilusão se você achar que depois do parto imediatamente terá seu corpo normal de volta... saia sempre com seu recém-nascido se não quiser que perguntem quanto tempo de gravidez você está.

Prepare-se! Em breve o recém-nascido não é mais tão recém assim e você tem que estar pronta pra correr atrás dele e esforçar-se ao máximo para decifrar dialetos ininteligíveis. Mas estes últimos você tira de letra e passará rapidinho ao cargo de intérprete oficial do seu filho. De repente você se pergunta o que acontece com o mundo ou os amigos à sua volta... e percebe que está tão ou mais branca quanto a neve e que as únicas músicas que escuta são os grandes sucessos do "Cocoricó", regravações do "Patati Patatá" ou the best of Backyardigans. Você então acha que deveria haver um decreto onde o Discovery Kids ou o Cartoon Network fossem obrigatórios na casa de cada nova mãe, assim teria tempo para, pelo menos, pentear os cabelos. Filhos são sim como os jogos de video game: a próxima fase é sempre mais difícil!!

Correr insandecida atrás de uma criança de menos de um metro num aglomerado com centenas de milhares de pessoas ou fazer caretas e cenas para tirar o foco do bebê quando já desistiu de explicar pela milésima vez que não é para enfiar o dedo no olho da gata da Vovó serão façanhas corriqueiras. Você passa a desejar mais de dois pés para conseguir ultrapassar o conglomerado de brinquedos barulhentos e coloridos que você havia arrumado há 5 minutos atrás.


Mas você não liga pra isso... quem liga pra choros, cheiro de leite azedo, parecer um zumbi do Resident Evil, não ter outro assunto senão desmame, desfralde e escola. Quem liga para não ter mais vida social, por perder programas incríveis com os amigos? Quem liga pra limpar cocô no chão da sala depois de repetir 3897490248203930939 vezes que o lugar do cocô é no penico? quem liga acordar de noite para ver o bebê e pisar numa trilha de brinquedos e buzinas quando a última coisa que você queria era emitir um único som?


Quem liga pra isso quando se chega e casa e depara-se com um sorriso dizendo: "Chegou a Mamãe!". Ou ainda quando sabe que é o melhor alento para uma queda ou quando se está doente? Quem liga pra tudo isso quando ele olha sua foto e diz seu nome. Ninguém liga pra essas coisinhas quando vê seu pai brincando de esconde-esconde atrás do carro com seu bebê. Ou ainda quando você o vê correndo com um baldinho na mão e o mar ao fundo.


"Filhos... Filhos?

Melhor não tê-los!

Mas se não os temos

Como sabê-lo?

(...)

Que macieza

Nos seus cabelos

Que cheiro morno

Na sua carne

Que gosto doce

Na sua boca!

Chupam gilete

Bebem shampoo

Ateiam fogo

No quarteirão

Porém, que coisa

Que coisa louca

Que coisa linda

Que os filhos são!"


Poema enjoadinho - Vinícius de Moraes

3 comentários:

Poly Magdalla disse...

Muitooo lindo...e eu passei hj uma noite dakelas com Yasmim querendo peito e em cima de mim e do pai dela na cama,mas quem liga neh? beijossssssss

Daniely disse...

Que lindo o post, Maggie!
Eu to na fase do cheiro de leite azedo e parecer um zumbi do resident evil hauahuahuahhauhua
Beijoooos

Roberta disse...

Eu tenho comecado a dormir mal... por vezes é o xixi, por outras é a coluna e em outras é apenas ansideade e eu sei que é apenas o começo.... =)